Para aceder ao conteúdo da página, clique aqui.

Arquivo Municipal

Cheias de 1967



recua
Arquivo Municipal de Loures | 2021-11-25

Cheias de 1967
25 de novembro

1967 foi um ano seco e o Outono também começou sem chuva. Só no início de novembro é que se começou a verificar uma sequência de dias chuvosos.
As cheias de 1967 na região de Lisboa foram causadas por fortes chuvas na madrugada de 25 para 26 de novembro. Uma depressão meteorológica que percorreu todo o Vale do Tejo, atingiu entre outros, o concelho de Loures, e causou inúmeras mortes e destruiu milhares de casas, estradas e pontes.
Foi um episódio meteorológico extremo: choveu em poucas horas o que deveria ter chovido num ano. O pico deu-se entre as 19h00 e a meia-noite e em apenas cinco horas registou-se um quinto da precipitação verificada no ano inteiro.
Em toda a região da Grande Lisboa, a média ultrapassou os 100 litros por metro quadrado.
Os rios e ribeiros transbordaram e as águas ganharam uma inesperada força.
A enxurrada levou árvores, carros e fez das ruas rio e mar... As cheias provocaram
centenas de mortos e milhares de desalojados.
Tratou-se de “um fenómeno anormal, excecional mesmo à escala centenária, de grande concentração de chuva”. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a probabilidade de um evento destes acontecer é de uma vez em cada cem anos.
(fonte: Renascença)


Cheias de Novembro de 1967, São Julião do Tojal
Foto cedida por Maria do Carmo Cleto Tojal Parreira



Cheias de Novembro de 1967, São Julião do Tojal
Foto cedida por Maria do Carmo Cleto Tojal Parreira



Carta hidrográfica H3, área inundada, 1967
topo


YouTube   Facebook

Copyright © Câmara Municipal de Loures 2014
Segurança e Privacidade